Publicado em 21 Setembro 2021

"Edtechs"; internacionalizar para viabilizar o crescimento.

Startup
Escrito por Jerônimo do Valle
É uma história comum a todos os setores hoje: os investidores só aceitam ver gráficos "otimistas" nas projeções. No entanto, o crescimento geral das edtech nos últimos 18 meses aumentou tanto que as companhias precisam apresentar um crescimento triplicado da receita recorrente anual para serem notadas.
Algumas empresas - como GoStudent, Ornikar e YouSchool – conseguem realizar a façanha, mas outras, sem dúvida menos adequadas às condições apresentadas pela pandemia, encontram mais dificuldades em apresentar esse tipo de exponenciação.

Um dos temas mais comuns nas firmas jovens é a ênfase na expansão internacional para o crescimento. De fato, uma pesquisa realizada com empresas de edtech sobre seus planos, prioridades e armadilhas, curiosamente demonstrou que a internacionalização tardia na jornada parece tornar as facetas de expansão mais viáveis. Orçamentos mais altos, obviamente, também permitem a entrada em vários mercados quase que simultaneamente.

Os dados revelaram ainda uma divisão quase uniforme dos clientes-alvo entre companhias, instituições e consumidores, bem como uma boa distribuição dos mercados domésticos. Os maiores contingentes eram do Reino Unido e da França, com treze e nove entrevistados, respectivamente, seguidos pelos EUA com sete, Noruega com cinco e Espanha, Finlândia e Suíça com quatro cada. Cerca de 40% dessas empresas ainda não haviam saído de seu país de origem e o restante havia se internacionalizado.

A expansão para além das fronteiras é uma parte interessante e cheia de nuances do caminho de uma edtech. Ao contrário de seus vizinhos em fintech, presume-se que as firmas de edtech precisem expandir-se para uma série de grandes mercados a fim de alcançar uma escala que as torne atraentes para VCs. Isso, porém, já é menos verdadeiro do que no início de 2020, uma vez que a educação digital e o trabalho são, agora, tão comuns que é possível construir uma edtech de bilhões de dólares em um único e maior mercado europeu.